Relatório da Assespro-PR mostra influência da pandemia no setor de TI

Publicado por: Redação
21/12/2021 08:37 PM
Exibições: 64
Cortesia Pexels
Cortesia Pexels

Queda drástica no número de pedidos de registro de serviços em TI no INPI aponta retração do mercado no auge da Covid-19.

 

A pandemia da Covid-19 afetou drasticamente o mercado de desenvolvimento de serviços em tecnologia, com uma queda de 80% no pedido de registros de marcas de serviços em Tecnologia da Informação (TI).

 

É o que indica o report da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação do Paraná (Assespro-PR) lançado no mês de novembro de 2021 e que analisa os dados referentes ao período de 2019-2020, ápice da crise pandêmica no Brasil. O documento teve como base informações coletadas junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e analisou os indicadores de pedidos de registro de marcas de serviços em Tecnologia da Informação (TI) entre 2019 e 2020.

 

O levantamento identificou que, no ano de 2020, foram feitos cerca de 36 mil pedidos de registro de marcas e aproximadamente 1.122 foram de aplicações voltadas ao ramo de Serviços em TI, o que corresponde a 3% do total de pedidos de registro de marcas no geral, enquanto, em 2019, foram registrados 5.878 pedidos, uma redução de 80%.

 

Outro dado interessante é a redução no pedido de registro de marca por não residentes, ou seja, desenvolvedores de fora do país, cuja retração ficou entre 86% e 93%, como foi o caso dos EUA, de Hong Kong e da Alemanha. Nos pedidos de registros de marca dos residentes, a queda foi de 79%

.

Dentre as dez principais empresas depositantes no INPI, três são estrangeiras. A Amazon com 6 pedidos, a SparkCognition e a Microsoft com 4 cada, enquanto cinco delas são nacionais: a Wispot apresentando 4, a Siena, a Tryideas, a Mdmaio e a B2W, todas com 3 cada.

 

Observando apenas o cenário nacional, São Paulo concentrou 41% do total dos pedidos, em 2020, seguida por Minas Gerais (10%) e Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rio de Janeiro, com 7% cada. No Paraná, os cinco maiores depositantes de marcas de TI foram as empresas Tryideas, Adizell, Globodata, TJM – que atua em consultoria de gestão empresarial – e Maispdv – do ramo de marketing. Essas empresas atuam notadamente como prestadoras de serviços em TI, educação, comércio, consultoria empresarial, marketing e holdings, caracterizando a transversalidade dos Serviços em TI na economia.

 

 

Tipo de atividades que mais tiveram pedidos de registro

As atividades nas quais as marcas de Serviços em TI são empregadas concentram-se sobretudo em Software como serviço (SaaS) e Elaboração (concepção) de software de computador, seguidas por Manutenção de software de computador, Consultoria em software de computador e Atualização de software de computador, incluindo-se, ainda, outras atividades de destaque, como: banco de dados, segurança da informática e desenvolvimento de plataformas de computador.

 

Vale lembrar que o registro de uma marca é feito após o desenvolvimento do produto, que leva tempo, mostrando como o ano de 2020 e todo o caos vivido refletiram também na economia e no ramo de tecnologia. A retração na economia e a instabilidade do mercado, com certeza, levaram as empresas e instituições a segurarem o desenvolvimento de novos serviços.

 

Certamente o levantamento do próximo biênio (2021-2022) poderá corroborar esses dados e apresentar as direções tomadas no ramo de TI.

 

Revistas de Propriedade Industrial, 2020, No. 2557 a 2608. Disponível em: http://revistas.inpi.gov.br/rpi/

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários