A curiosa história da Madonna de Kiev em Nápoles

Publicado por: Redação
21/04/2022 03:51 PM
Exibições: 113

A Madona de Kiev e o Hino do USS na Igreja: como a Europa católica apoia a Ucrânia

 

Os eventos na Ucrânia impressionam tanto os devotos europeus que canções ucranianas são cantadas durante os cultos e ícones são pintados com base em fotografias de abrigos antiaéreos.

 

A imagem da "Madona de Kiev" escondida no metrô das bombas foi criada por um artista do Dnieper Maryna Solomennikova. O protótipo era uma fotografia do fotógrafo húngaro András Foldes, tirada em um dos primeiros dias da guerra. A mulher na foto é Tatiana Bliznyak. Em 25 de fevereiro, ela e o marido, a filha Marichka de dois meses e um pug se esconderam na estação de metrô Teatralna. De acordo com a própria Tatiana, eles deveriam evacuar em 26 de fevereiro, mas não conseguiram sair. No final, eles conseguiram chegar a Lviv.

 

Em 14 de março, a "Madonna de Kiev" foi hospedada por James Martin, consultor da Secretaria de Comunicações do Vaticano. Isso foi o suficiente para reproduzir uma cópia quase exata da imagem em uma capela improvisada na rua perto da escola das Irmãs Franciscanas em Nápoles.

 

No final da semana passada, o arcebispo de Nápoles, Domenico Battalia, oficiou diante da imagem da "Madonna de Kiev". E todos os crentes que estiveram presentes no culto receberam pequenas imagens especiais com a imagem.

 

O ícone apareceu naquela capela não por acaso. É nesta parte de Nápoles que vieram 50 famílias migrantes da Ucrânia, em particular de Kiev, Mariupol e Bucha. Seus filhos já foram para a aula de ucraniano na Escola das Irmãs Franciscanas.

 

E na Polônia, onde há o maior número de deslocados internos da Ucrânia, em uma das igrejas em Varsóvia durante a missa, os paroquianos com o padre cantaram a música "Oh, no prado vermelho viburnum".

 

 

Coisas incríveis estão acontecendo no século 21: uma mulher comum de Kiev e sua filhinha se tornaram uma imagem iconográfica da força e firmeza do espírito ucraniano. Moradores de Nápoles, Itália e deslocados internos da Ucrânia constantemente trazem flores e acendem velas, rezando pelo fim da guerra na Ucrânia. Ao mesmo tempo, o hino dos ucranianos Sich Riflemen é cantado na Igreja Católica, e também é interpretado por uma das bandas de maior sucesso na Grã-Bretanha - Pink Floyd. O mundo inteiro acredita na vitória da Ucrânia, e as Forças Armadas estão constantemente se aproximando do momento da capitulação do inimigo.

 

Por Correspondente do Exército

Publicado por: ArmyInform

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários