Militares ucranianos não aceitarão acordos ou compromissos com a Rússia

Publicado por: Redação
14/11/2022 07:44 PM
Exibições: 130

"Nosso objetivo é libertar todas as terras ucranianas da ocupação russa", disse Valery Zaluzhny


Os militares ucranianos não aceitarão quaisquer negociações, acordos ou decisões de compromisso em relação ao fim da guerra, disse o comandante em chefe das Forças Armadas da Ucrânia Valery Zaluzhny (foto). Segundo ele, disse isso durante uma conversa telefônica com o chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, Mark Milley.

 

"Eu assegurei que vamos lutar enquanto tivermos força. Nosso objetivo é libertar todas as terras ucranianas da ocupação russa. Não vamos parar neste caminho sob nenhuma circunstância. Os militares ucranianos não aceitarão quaisquer negociações, acordos ou decisões de compromisso. Há apenas uma condição para as negociações: a Rússia deve deixar todos os territórios capturados", diz a mensagem na página do comandante -chefe no Facebook.

 

Além disso, segundo Zaluzhnyi, informou seu colega americano sobre a situação operacional e as necessidades prioritárias das Forças de Defesa.

 

"A situação na frente é estável e sob controle. Estamos monitorando de perto as ações do inimigo na fronteira com a Bielorrússia e estamos construindo um escudo confiável para proteger a Ucrânia do norte. As forças de defesa, apesar da feroz resistência das forças de ocupação, continuam sua ofensiva na direção de Kharkiv", disse ele.

 

"O inimigo está atacando ativamente as linhas de Bilogorivka-Soledar-Bakhmut-Mayorsk e Avdiivka-Opytne-Vodyane-Pisky-Marinka-Pavlivka, mas não está conseguindo. Mantemos a defesa graças à resiliência de nossas unidades avançadas e reservas prontas para o combate. Na direção de Kherson, estamos realizando ações de estabilização e fortalecendo as linhas de defesa", acrescentou Zaluzhny.

 

Recentemente, a imprensa ocidental tem escrito cada vez mais sobre a necessidade de negociações entre a Ucrânia e a Federação Russa. Por exemplo, de acordo com o The Wall Street Journal, Jake Sullivan, conselheiro de segurança nacional do presidente dos EUA, em 4 de novembro, durante conversas com o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyi, sugeriu que ele pensasse em "requisitos realistas" para o início das negociações. No entanto, como antes, Volodymyr Zelenskyi insiste que não fechou a porta para as negociações com a Rússia , mas considera as negociações com a atual liderança russa sem esperança.

 

Em 11 de novembro, o Ministério da Defesa da Ucrânia anunciou que após oito meses de ocupação russa, Kherson foi devolvido ao controle do exército ucraniano . A bandeira ucraniana foi hasteada no centro da cidade . Segundo os militares, desde o início da semana , 179 assentamentos na margem direita do Dnieper, na região de Kherson, foram desocupados , abrangendo mais de 4,5 mil quilômetros quadrados.

 

Segundo o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyi, mais de 400 crimes de guerra foram documentados nas áreas libertadas da região de Kherson, provavelmente cometidos pelos militares russos.

 

Editado por Mike N.

Com informações da Radiosvoboda

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários