O Brasil absteve-se na ONU de condenar a Rússia a reparar os danos causados à Ucrânia

Publicado por: Redação
14/11/2022 07:56 PM
Exibições: 125

A Assembleia Geral da ONU adotou uma resolução histórica sobre a compensação por danos causados ​​à Ucrânia pela agressão russa

 

Em uma sessão especial em 14 de novembro, a Assembleia Geral da ONU adotou uma resolução de autoria da Ucrânia e meia centena de outros estados, que pede à Rússia que compense os danos causados ​​pela agressão em grande escala.

 

Isto é relatado por "Verdade Europeia" .

94 países votaram a favor da resolução, 14 votaram contra e outros 73 se abstiveram (inclusive o Brasil). 14 países se manifestaram contra a resolução: Bahamas, Bielorrússia, China, Cuba, Coreia do Norte, Eritreia, Etiópia, Irã, Mali, Nicarágua, Rússia, Síria, República Centro-Africana e Zimbábue.

 

 

Os estados da ONU que apoiaram o documento reconhecem que "a Federação Russa deve ser responsabilizada por quaisquer violações do direito internacional na Ucrânia ou contra a Ucrânia, incluindo sua agressão em violação da Carta das Nações Unidas, bem como quaisquer violações do direito internacional humanitário e o direito internacional dos direitos humanos, e que deve arcar com as consequências legais de todos os seus atos internacionalmente ilícitos, incluindo a compensação por danos, em particular qualquer dano causado por tais atos”.

 

Eles também reconhecem a necessidade de criar, em cooperação com a Ucrânia, "um mecanismo internacional de compensação por danos, perdas ou danos que sejam consequência das ações internacionalmente ilegais da Federação Russa na Ucrânia ou contra a Ucrânia".

 

A resolução recomenda que os membros da ONU, em cooperação com a Ucrânia, criem “um registro internacional de danos para registro de provas causadas a todos os indivíduos e entidades legais interessados, bem como ao estado da Ucrânia como resultado das ações ilegais internacionais da Rússia na Ucrânia. "

 

O Representante Permanente da Ucrânia junto à Organização, Serhiy Kyslytsia, que apresentou o documento, enfatizou que votar a favor da resolução não significa ficar do lado de uma das partes do conflito, porque se trata de apoiar a Carta da ONU, seus objetivos e princípios, e direito internacional em geral.

 

Recorde-se que, em 28 de outubro, a Rússia convocou uma reunião do Conselho de Segurança da ONU em conexão, como afirmou, com a preparação da Ucrânia para o uso de armas biológicas. Na reunião, o representante da Rússia, Vasyl Nebenzya, falou sobre os documentos supostamente descobertos relacionados à preparação de armas biológicas dos EUA nos "biolaboratórios" da Ucrânia. Segundo sua versão, os  americanos transportam pássaros assassinos, morcegos venenosos e combatem mosquitos com a ajuda de drones .

 

Recentemente, a representante dos EUA na ONU, Linda Thomas-Greenfield, trollou os russos por suas ilusões sobre mosquitos, morcegos e pássaros  . "A Rússia sabe que as espécies migratórias são estudadas em muitos laboratórios para estudar patógenos - esta é uma prática comum. Mas morcegos e pássaros não preservam fronteiras soberanas, assim como a Rússia", disse ela.

 

O representante da Albânia, que falou nas discussões, afirmou que esta já é a quarta ou quinta reunião do Conselho de Segurança da ONU, convocada a pedido da Rússia, na qual nenhuma mensagem do iniciador da reunião acaba sendo verdade e  o resultado dessas reuniões é sempre "inútil" .

 

Editado por Mike N.

Com informações do ArmyInform

 

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários