Novas ameaças de Medvedev na linha da retórica costumeira

Publicado por: Redação
19/01/2023 04:55 PM
Exibições: 56

Derrota russa pode desencadear guerra nuclear, segundo auxiliares de Putin

 

O vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, o ex-Presidente Dmitry Medvedev, alertou esta quinta-feira o ocidente contra o envio de armamento pesado à Ucrânia, afirmando que a derrota russa numa guerra convencional pode provocar um conflito nuclear.

 

“Na base da NATO em Ramstein os grandes líderes discutem novas táticas e estratégicas, assim como o abastecimento de novas armas e sistemas de ataque à Ucrânia. Isto acontece depois do Fórum de Davos onde foliões ‘atrasados mentais’ repetiram como um mantra: ‘para se conseguir a paz, a Rússia deve perder", afirmou Medvedev, ameaçando com a possibilidade de um agravamento da situação militar.

 

E acrescentou: “E a nenhum desses miseráveis lhes ocorre retirar uma conclusão elementar: a derrota de uma potência nuclear numa guerra convencional pode provocar uma guerra nuclear”.

 

As posições de Medvedev, citadas pela agência Lusa, foram expressas através do Telegram. Na mesma declaração, reiterou as mesmas ameaças: “As potências nucleares não perderam os grandes conflitos que põem em causa o seu destino”.


“Isto deveria ser óbvio para qualquer pessoa. Inclusivamente para um político ocidental que conserve, pelo menos, o mínimo rasgo de inteligência”, declarou.

 

O ex-Presidente da Rússia emitiu novas ameaças sobre a possibilidade de um conflito nuclear precisamente na véspera da reunião do Grupo de Contacto para a Defesa da Ucrânia, na base aérea norte-americana de Ramstein, na Alemanha.

 

Zelenskyy não sabe se Putin “está vivo”


O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, afirmou esta quinta-feira que não sabe se o seu homólogo russo, Vladimir Putin, “está vivo ou se ele é que toma as decisões ou quem é que está a tomar as decisões”, admitindo que não tem a certeza se a pessoa que aparece na televisão é mesmo ele.

 

Estas declarações foram feitas durante a sua intervenção numa sessão do Fórum Económico Mundial em Davos, na qual indicou igualmente que as negociações de paz com a Rússia “não são a paz”.

 

“As partes precisam de perceber isso. Nos últimos três anos fizemos tudo que podíamos para libertas a nossa terra através da diplomacia. Alguém não queria, não teve tempo, não acreditou em avançar com as condições. Existem muitas pessoas assim, e o centro de tudo está em Moscovo”, disse, citado pela CNN.

 

O chefe de Estado ucraniano garantiu ainda que a Ucrânia vai recuperar a Crimeia” e que “não é uma intenção, é a nossa terra. A Crimeia é o nosso mar e as nossas montanhas. Deem-nos armas e nós vamos reconquistá-la”.

 

Com informações da Agência Lusa

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags: